quarta-feira, 4 de março de 2009

Resumo: Capítulo Um do Livro "Desvendando os Segredos do Texto"

A concepção de sujeito depende da concepção de língua adotada, podendo assim, variar de três
maneiras: um sujeito psicológico, um sujeito “sem consciência” e um sujeito de “caráter ativo”. O
primeiro utiliza a língua para representar seu pensamento, é, portanto, responsável por suas
ações. O segundo meramente reproduz um discurso previamente estabelecido, como um porta-
voz, sem ser, porém, o dono de seu discurso. O terceiro sujeito utiliza a língua como “lugar de
interação”, assim, reproduzindo e definindo o social e participando ativamente da situação na
qual se acham engajados. A relação sujeito-língua é a base para compreender a relação texto-
sentido. Dependendo de qual forma de linguagem é utilizada, tem-se uma diferente concepção de
texto e consequentemente, do sentido que o texto traz, tanto quanto nas formas de interpretar
este sentido. Existem uma série de teorias que procuram definir como se deve buscar o sentido
em um texto, cada qual com uma visão de como chegar ao objetivo final: o significado, o
pensamento exposto pelo sujeito, podendo ou não haver interferência do contexto em que este
se enquadra. Invariavelmente, o leitor utilizará diversos conhecimentos e estratégias para a
interpretação do sentido.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário